Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias da Alma

A vida é apenas uma passagem, e os momentos vividos, sejam bons ou maus, são necessários para o nosso crescimento, mas se deixarmos que seja o AMOR a guiar sempre as nossas atitudes, pensamentos e vontades, a Alma viverá FELIZ

Histórias da Alma

A vida é apenas uma passagem, e os momentos vividos, sejam bons ou maus, são necessários para o nosso crescimento, mas se deixarmos que seja o AMOR a guiar sempre as nossas atitudes, pensamentos e vontades, a Alma viverá FELIZ

Dom | 08.07.18

Trás os Montes. Província junto ao Céu..

Maria Grace

 

Tras os Montes

 

   Sempre senti que a minha alma pertencia às terras do Norte... Mais propriamente às terras de Trás os Montes. 

Perto do verde.

Perto das montanhas e rios.

Perto do que eu considero ser o Céu. 

  Infelizmente nunca lá fui. Irónico, não? E imagino que se questionem "Então, se nunca lá foi, como pode gostar tanto?" Mas a realidade é que, aquelas terras fascinam-me, e tudo o que envolve esta maravilhosa província. 

  Nunca lá fui, e nem sei bem porquê! Não foi por falta de tempo, dinheiro, ou falta de vontade. Mas de todas as vezes que me predispus a fugir da cidade, o meu corpo ia sempre parar ao Sul. A terras algarvias. 

Tras os Montes

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

    Durante quarenta anos fui aprendendo antes, a amar o Sul, a água quente do mar algarvio, as praias repletas de turistas, as calçadas das ruelas estreitas por onde passava, as pessoas, o sotaque... E mais uma vez o sossego da vila, onde todos se conheciam, e cumprimentavam. Onde não existia a indiferença, a falta de humildade, a falta de companheirismo. 

  Comparativamente com a cidade... 

 

Tras os Montes

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

      Mas sinto cada vez mais que algo lá em cima me chama, e tenho uma vontade enorme de ir.  Onde? Bem, São todas lindíssimas, apelativas, e principalmente sossegadas, que no fundo acho que é o que procuro: Paz na alma e sossego no coração. 

  Não vos vou dizer que seria para viver, pois isso significaria grandes mudanças na minha vida, e a minha maneira de ser nunca se deu bem, com alterações repentinas.

   Mas passar quem sabe, uns bons meses, isso sem dúvida, aceitaria, sem olhar para trás. 

 

Tras os Montes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O meu sonho:

                 "Dia 20 de Julho de 2018. 6.00 Horas da tarde. Chegamos a Vila Real de Trás os Montes, apenas com uma mala, cada um, contendo apenas o necessário para o dia-a-dia. Roupas práticas, soltas e frescas. Prontos para uma aventura numa cidade histórica, envolta pelos seus montes misteriosos, pelas suas casas antigas, feitas de granito e telhados de colmo, cujo cheirinho bom que vem de dentro, convida qualquer pessoa a entrar. Ementa: pãozinho quente, acabado de sair do forno de lenha, acompanhado de um maravilhoso queijo de cabra, que derrete lentamente na nossa boca. Humm...Parece que o estou a saborear...

    É mesmo aqui que pretendo me instalar. Dirigimos-nos a uma residencial. Não procuramos luxos, mas comodidade, e de preferência que não tenha muito movimento. O cansaço começa a instalar-se. O dia seguinte vai ser completo, em todos os aspetos, por isso agora damos prioridade a uma noite bem passada. 

   Escolhemos para passar uns dias, a Residencial Montanhês, a quinze minutos a pé de Vila Real.  Perfeito! 

 

Tras os Montes

 

     Eram 08.00 horas quando acordámos. Já refeitos da longa viajem, resolvemos ir à descoberta. Estávamos conscientes da longa caminhada, que íamos fazer. Mas ia ser certamente compensador. Eis o itinerário destas mini-férias, no meu sonho:

 

   1 - Barragem do Sordo, uma pequena barragem, com apenas trinta metros de altura, que começou a funcionar em 1997.

 

Barragem do Sordo

 

      

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

               2. Parque Natural de Alvão 

 

Tras os Montes

 

 Iniciamos a nossa caminhada à saída de Agarez no sentido de Galegos da Serra, com uma  subida bem acentuada. Atravessamos o antigo caminho, que leva os habitantes da aldeia e os animais. 

 

Tras os Montes

 

   

 

    No caminho, onde o verde e os declives rochosos se faziam sobressair, por todos os lados, passámos por sítios onde podemos contemplar a natureza, na sua mais pura graciosidade. A Ribeira de Arnal. Verde. A Cascata de Galegos da Serra. Verde. Pequenos riachos, lagoas.

E mais verde.

 

Tras os Montes

 

 

Tras os Montes

 

        Em Arnal, encontrámos uma Casa Florestal, que vim a saber ter sido transformada em Centro Ecológico.

   

Tras os Montes

 

 

      No caminho, até tivemos a oportunidade de ver um rebanho de cabras montanhesas, que costumam circular por esta zona. 

 

Tras os Montes

 

     E do alto, podíamos ver a magnifica Vila Real.

    Regressámos pelo mesmo trajecto. Foi sem dúvida, um dia completo.

Tras os Montes

  

 

   3 - Praia Fluvial do Rabaçal

 

          Claro que no dia seguinte, o nosso corpo gritava por DESCANSO...

          Aproveitando o calor que já se fazia sentir, logo pela manhã, resolvemos passar o dia numa praia fluvial, situada na freguesia de Possacos, a 76 quilómetros de Vila Real. E foi bastante gratificante. Não só serviu para conhecer uma das melhores praias fluviais de Trás os Montes, como para relaxar os músculos doridos da longa caminhada, do dia anterior. 

Tras os Montes

 

    Almoçámos num restaurante ali perto, e retomámos os nossos banhos naquela água fresca. Com o calor que estava, soubem maravilhosamente bem. Só regressámos à residencial, já eram 19.30 horas. Tomámos um bom banho, e jantámos. Foi sem dúvida, o melhor dia.

 

     4. Ponte de Pedrinha em Boticas 

       

         E não fosse eu apaixonada por monumentos históricos ( de preferência da Idade Média), no quarto dia, fomos até Boticas, a mais ou menos 72 quilómetros de Vila Real. Foi quase uma hora de carro, não chegou. Fomos logo pela manhã, pois já tínhamos decidido que à tarde iríamos visitar o Santuário de Panóias, em Vila Real. 

  A Ponte de Pedrinha, da idade medieval, agora é apenas uma ponte pedonal. Segundo consta, foi construida pelos Mouros, durante a noite,  pois tinham receio de serem atacados durante o dia.  

Tras os Montes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     Os trabalhadores tiveram de fugir antes de terminarem a ponte, faltando apenas colocar uma pedra, daí o nome de Ponte da Pedrinha. 

 

Tras os Montes

 

  Ainda em Boticas, visitámos a famosa Fonte dos Amores, conhecida por este nome, devido à lenda da zona,  que diz existir aí um pote com moedas de ouro, de uma marroquina que chorou a perda do seu amor, neste lugar.

 

Tras os Montes

 

Tras os Montes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Estas histórias, por detrás das pedras, do chão, de tudo envolvente ao sítio, é que me fascinam. Adoro! 

 

  5. Santuário de Panóias, em Vila Real

  

   Nessa mesma tarde fomos ao Santuário de Panóias emVale de Nogueiras, que fica apenas a 10 quilómetros da cidade. A sua construção remonta a finais do século II/ início do século III d. C, por isso fiquei ansiosa de ir.

 

   Aí encontrámos três grandes fragas nas quais foram talhadas várias cavidades, de diversos tamanhos, bem como escadas de acesso. Numa das rochas foram também gravadas inscrições.

A rocha n.º 1, situada na entrada do recinto, possui a seguinte inscrição:

 

Tras os Montes

 

   A sua tradução é a seguinte: 

 

 

“Aos Deuses e Deusas deste recinto sagrado.

As vítimas sacrificam-se, matam-se neste lugar.

As vísceras queimam-se nas cavidades quadradas em frente. O sangue verte-se aqui ao lado para as pequenas cavidades. Estabeleceu Gaius C. Calpurnius Rufinus, membro da ordem senatorial.”

 

 No entanto, a partir de 2001  este local foi vedado, e foram construídas algumas infraestruturas com o objectivo de valorizar este monumento. Possui hoje um Centro Interpretativo, visitas audioguiadas (português, francês, inglês e alemão), posto de vendas e é possível visualizar um pequeno filme sobre o Monumento."

 

  Com muita pena minha, acordei do meu sonho, embora saiba que nesta província tão bonita, existem outros locais a visitar, igualmente maravilhosos e com um significado histórico marcante. Paisagens para contemplar, monumentos para explorar.

   Mas talvez com sorte volte a sonhar...E desta vez acordada.

 

Tras os Montes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

       

 

14 comentários

Comentar post