Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias da Alma

A vida é apenas uma passagem, e os momentos vividos, sejam bons ou maus, são necessários para o nosso crescimento, mas se deixarmos que seja o AMOR a guiar sempre as nossas atitudes, pensamentos e vontades, a Alma viverá FELIZ

Histórias da Alma

A vida é apenas uma passagem, e os momentos vividos, sejam bons ou maus, são necessários para o nosso crescimento, mas se deixarmos que seja o AMOR a guiar sempre as nossas atitudes, pensamentos e vontades, a Alma viverá FELIZ

Qui | 17.05.18

Bolas!!! Eu não me chamo Max!!!!!

Maria Grace

Max

 

       "Mas porque todos me chamam Max? Nem tenho um colete com K9 escrito!

       Na volta estou de serviço à comunidade, e nem sei!"

     Reflexões de um Pastor Alemão, num dia, em que mais valia nem ter saído de casa.

     Cada vez que vai com o seu dono, acredita que finalmente chegou o seu momento de prazer, a sua vez de divertir-se.

     Afinal, os donos vão brincar o dia todo, para o trabalho!

   Presumo que seja isto, que o meu cãozinho supõe, pois quando chegamos a casa, e o levamos à rua, saí do prédio desalmado, como se o Mundo fosse todo dele.

   Como quem diz " Agora sou eu!

     Mas a hora do Hatch é a hora do Hatch!  É nessa altura que pode desfrutar dos cheiros das flores, ( nunca vi um cão cheirar tanto, eh, eh!) correr livremente atrás dos pombos

(o seu passatempo preferido), fazer os seus xixis de quase 5 minutos, mas sempre observando tudo à sua volta.

  

         Mas nem sempre se pode ter um passeio em sossego, e aquele dia foi um deles.

       Primeiro uma longa caminhada, em que quem fica estafado não é o cão, mas sim o dono do cão, de tanto ser puxado. Quando ainda não está cansado, não há ninguém que o pare.

    Não é o dono que passeia o Hatch. O Hatch é que passeia o dono. 

 

Max

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

         Depois, o descanso numa esplanada de um café, antes de voltar a casa. 

 

Max

    E achava mesmo que aquele dia estava a ser perfeito, a sentir o calorzinho do Sol, quando várias crianças, provavelmente vindas de alguma atividade extra escolar, resolvem parar mesmo à sua frente.

 

"E pronto, alguém já me tirou Sol!" pensou.

 

 

 

     Olhou para cima e quase ficou em choque com o alarido que os miudos faziam, todos ao mesmo tempo:

 

              - É o Max! Max, anda Max!!! - diziam duas ou três.

       

           - Pois é! Olha o Max! Aqui. Max! " - concordavam quatro ou cinco.

 

          "O que é isto? Será que estão a fazer algum anúncio ao gelados da Olá?

 

           E só conseguia ouvir o zumbido "ax,ax,ax" na sua cabeça. Já estava a ficar doido!

          E claro, incomodado com aquelas abelhinhas, resolveu emitir aquele som próprio dos canitos chateados, que eu sei que é só barulho, mas os outros não, e vindo de um Pastor Alemão, imaginam, não é?

 

   Mas ele apenas estava a dizer " Não me chamem Max!"

   

Max

    "Rrrrrrrrr...Rrrrrrrrr" 

 

 

    CARAMBA!!!

 

 

    Ferrõezinhos para que te quero.

 

   E o nosso amigo voltou a deitar a cabeça, despreocupado de tudo.

 

 

 

 

   Mas mal sonhava, que não ia parar por aí.

 

             Depois daquele descanso atribulado, e antes de voltar ao lar, acompanhou-nos  ao supermercado. Mas sempre a ver se aquelas pequenas abelhas, não apareciam novamente. 

 

Max

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

       

  Chegados ao supermercado, tivemos que o prender lá fora, pois o Hatch é um doce de cão, sem dúvida, mas teimosoooooo como nunca tinha visto igual. São realmente uns queridos, mas a manipulação.... em cão. 

 É impensável deixá-lo à porta, e dizer "FICA". 

 Ó Fica...!!!!!!

      " Fica aqui tu se quiseres!"  Pensa ele. E não fosse entrar disparado pelo estabelecimento dentro, à nossa procura, assustando tudo e todos,  optámos por prendê-lo. 

 

         Fizemos as nossas compras, pagámos e quando íamos a sair,  a cena que assistimos foi .

Surreal!

             O senhor polícia que costumava fazer serviço no supermercado, à porta, de frente para o Hatch a chamá-lo:

 

            - MAX!  MAX! Olha... Max! ... És muito giro Max! MAaaaaxxxxx!

 

    E o Hach indiferente, deitado, à nossa espera, devia estar a pensar que o Sr. Polícia não estaria a sentir-se bem. 

 

  Eu passei pelo senhor agente, que me disse prontamente:

 

          - Muito bem treinado! Sim senhor! Não dá troco a desconhecidos! Gostei de ver! 

 

    E eu..... perdida de riso..... respondi de imediato, ao Sr. Guarda, muito educadamente. 

 

           - Ele não liga, não é por estar bem ensinado.... Mas é porque o nome dele não é MAX! 

  

  Quando nos viu, parecia que não estávamos juntos há anos. Ehhhh! Que grande algazarra! 

 

  Eu percebi logo, o animal estava desejoso de sumir daquele sítio.

 

Muitos Maxes para um cão só! É Dose!

 E coitado do animal, nunca chegou a saber quem é o ilustre Max, que todos lhe chamam. 

Que Dia!

Max

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                

Max

 

 

Max

 

8 comentários

Comentar post